Posts tagged “Porto-Benfica

Um cheirinho de alecrim

Sofia,

Apesar da distância não te será difícil imaginar o que sinto hoje. Conheces-me, conheces o meu nervoso miudinho, a ansiedade mal contida, a vertigem de estar a um passo do abismo. Ou a dois da glória. Sabes bem destes sábados lentos que nem dia são, que se arrastam até à noite cair, até ao apito inicial que anunciará finalmente o início da jornada, o início de todo um dia concentrado em 90 minutos, de toda uma época jogada num tempo demasiado curto. O coração, esse bate desordenadamente até à hora em que Luisão pisar o relvado com a história a seus ombros, carregando a responsabilidade de levar os rapazes à glória que o seu futebol merece. E merece-o, esse futebol que encanta, que fez desta uma das mais belas épocas da minha memória. Mais logo o saberás, quando receberes um cheirinho de alecrim, anunciando que o nosso futebol venceu, que o futebol venceu, que há festa na Boavista, no Marquês e por todo o lado. O meu silêncio, ao invés será sinal de um calvário que se arrastará até ao próximo fim-de-semana. Sabê-lo-às logo, ao receber um abraço que únicamente os que amam futebol conhecem. De alegria explosiva ou de consolo misericordioso. Mas demorado em qualquer caso. E Benfiquista, sempre…

Pedro

Anúncios

o convite

Já o nervosismo se havia instalado quando recebi o convite. Faltavam 24h para o clássico, para o jogo pelo qual se espera todo o ano, para o jogo que faz baixar nas ruas da invicta aquele nevoeiro tenso e opressor. Esbarrou numa promessa, esse convite, esbarrou na vontade de dividir as emoções com a Luisa. Tristezas ou alegrias. De lhe explicar a imortalidade contida no passe de Aimar, na segurança de Luisão, no pé esquerdo de Cardozo. De vibrar com a genialidade intermitente de Gaitán, de aceitar finalmente que talvez seja este o seu momento, talvez seja este o ano que lembraremos para sempre como aquele em que o nº20 lhe caiu bem. Depois de Simão, depois de Di Maria. O ano em que Nicolás deixará finalmente de ser uma promessa, qual célula estaminal, para assumir uma qualquer função que desempenhará com garbo durante longos anos. Que comece amanhã, no Estádio do Dragão. Que me faça orgulhoso do convite recusado. Que faça tremer o café do Sr Coutinho, que levante finalmente o nevoeiro que agora baixa sobre o Porto. Que mereça a admiração da Luisa.


it ends tonight…

Foi um longo interregno de futebol, daquele a sério. Não do futebol de novas taças que mudam de nome com o sabor do vento, de jogos com segundas equipas, com experiências à mistura, de passatempos enfim. Termina hoje, esse jejum, esse inverno, e termina com um jogo grande, daqueles que acelera o coração, daqueles de ruas cheias de cachecóis e camisolas coloridas, ora amadas ora odiadas, daqueles que são a razão do nosso viver, que enchem o dia de um nervoso miudinho, de uma chuva-molha-tolos, de uma ansiedade esmagadora. Um jogo que, tendo tudo para dar errado, só pode dar certo.