Weekly Photo Challenge: My 2012 in Pictures

people campos concertina 1201 01 edited bw(Campos, Janeiro de 2012)

España (328) small(Covadonga, Fevereiro de 2012)

people Lisboa 1203 1 small(Lisboa, Março de 2012)

judas 15 1204(Tondela, Abril de 2012)

people porto painting 1205 01 small(Porto, Maio de 2012)

people cello 1206 01 small(Guimarães, Junho de 2012)

people pastor sta margarida 1207 1 small(Caramulo, Julho de 2012)

people venezia pozzi 1208 01 small(Venezia, Agosto de 2012)

people manif 1209 01 porto small bw(Porto, Setembro de 2012)

tortulho 01(Caramulo, Outubro de 2012)

moon small(Caramulo, Novembro de 2012)

work pontas small(Lavra, Dezembro de 2012)

Anúncios

a dois

Começou bem, a semana, com o melhor Benfica de que me lembro, reduzindo, numa primeira parte asfixiante, o Guimarães de Machado a uma insignificância. Com Sidnei remeter o resto da memória de David Luiz para Londres, com Aimar a justificar o porquê de ser um dos meus “10” favoritos, com Martins a colocar aquela bola dentro da baliza de Nilson, fazendo Rui Patrício tremer. Tudo isto em dia de aniversário de Luisão, brindado com um jogo de sonho, saudado pelos 55000 presentes na Luz. Mas, contra o que seria de esperar, não foi esse o ponto alto da semana futebolística, esse veio três dias depois com o Arsenal-Barcelona. Não o jogo, em si, mas pelo prazer de vê-lo a dois, com a Luisa. Há jogos assim, que não são de ver a sós, porque Villa não é de se odiar sozinho, porque o golo de Van Persie merecia mais do que uma garganta, porque a certeza de que Arshavin daria a volta é de ser partilhada. Futebol é jogo de equipa. Vê-lo também deve ser.  Amornou a semana, com a chegada do Estugarda à Luz, mas na verdade, entre o jogo de Domingo e o da próxima segunda-feira, não esperava muito melhor. Mas o ponto triste chegou hoje, com o esperado mas sempre adiado fim da linha para Mantorras. Pedro Mantorras a quem o azar roubou uma grande carreira, mas a quem a fatalidade não beliscou a aura de mito que goza até hoje na Luz. Pedro Mantorras tem a minha admiração eterna. Devo-lhe isso, devemos todos os Benfiquistas. Ofereçamos-lhe, pois, uma vitória sobre o Sporting, na próxima segunda-feira. Mas dediquemos-lhe uma grande exibição. Eu cá estarei para me deleitar com esse jogo, para odiar Maniche e para venerar Saviola. Eu e a Luisa.