geometria

Confesso que tenho uma quase obsessão pela perfeição geométrica.
Quando fotografo busco esse ponto mágico.
Em que as paralelas nunca se encontram.
Em que entre as perpendiculares podem contar-se 90º.
Nem sempre é fácil.
Nem sempre é possível.
O movimento, as dimensões do objecto fotografado não costumam facilitar a tarefa.
Consegui-lo, e ao mesmo tempo não perder aquela janela de oportunidade em que tudo é harmonia, em que a cena se oferece à eternidade, é trabalho digno de Hércules.
Eu, mero mortal, condenei já à gaveta centenas de fotografias que falharam esse quesito.
Esta, feita em Brugge durante um passeio de barco pelos canais, foi uma delas.
Resgatei-a hoje, graças às maravilhas da tecnologia. Graças ao Photoshop.
Os mais atentos encontrarão por certo algumas incoerências geométricas.
Que não se sobreponham à imagem em si, é o que desejo…