fim-de-festa

Sofia,

Não te falarei hoje dos desaires desta última semana. Até ao lavar dos cestos é vindima, e balanços guardá-los-ei para o fim. Hoje é dia de falar da ponta de tristeza que acompanha o fim da época futebolística, do ar de fim-de-festa, do terror da silly season, das longas semanas de ausência de futebol, notícias disparatadas, contratações certas e mais tarde abortadas, jogadores desviados para os rivais, dispensas e demais manobras que mais não fazem do que aumentar o desejo por uma nova época, por futebol a sério. Depois a pré-época, onde surgirão promessas certas, talentos escondidos, confirmações surpreendentes. Que não tardaram a cair no esquecimento. De futebol, nada. Sim é duro para mim, como sei ser para ti. No meu caso, a ida a Belo Horizonte suavizará essa privação, com a oportunidade de ver o Atlético, na melhor fase que lhe conheci, de ver ao vivo a nova vida de Ronaldinho. Gaúcho? Definitivamente deveria ser “o Mineiro”. Ronaldinho, o  Mineiro, que belo soaria. Isso sim, seria fechar em alta uma longa carreira de altos e baixos, de genialidade e descaso. Isso sim, seria digno das melhores histórias de ressurreição no futebol, da sua dimensão simultaneamente humana e mítica. Sei que Julho e Agosto serão duros para ti. Por isso aqui deixo a promessa de um lugar guardado no Independência. E de um prato de feijão tropeiro à tua espera…

Pedro

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s