Archive for Fevereiro, 2012

León


A seus pés se deteve a romana Legio VI Victrix, a vitoriosa. A isso mandava a prudência, que a imponência daquela cordilheira prometia ser feroz guarda para segredos tão inconfessáveis quanto perigosos. E assim foi, ali se acantonou e ali ficou por séculos, naquele chão que havia de se chamar León. Ali me detive eu também, que os tempos não aconselham aventuras, e a prudência manda que seja segura, a jornada. E foi segurança o que vi naquela esquina da Calle Regidores, ali, na Bodega Regia, segurança de um bom repasto, de um vinho caloroso, de uma palavra hospitaleira. Assim foi, com as Alubias a que do outro lado da cordilheira chamarei fabes, assim foi com o aconselhado vinho de Bierzo, com os croquetes de queijo, assim foi com tudo o que o dono, de sábia idade, resolveu trazer à mesa. Depois o passeio pelas elegantes ruas, a visita à bela Catedral de San Isidoro, subtil mistura de gótico e românico. Mas, se as sua grossas paredes me guardavam a vista, o pensamento esse voava em direcção a Norte, ansiando por essas míticas montanhas que na minha infância tantas vezes vi inatingíveis no mapa, que tantas vezes povoaram os meus sonhos de criança. Era hora pois de tomar o caminho da montanha, de rumar às Astúrias, de ir em busca de Pelayo, esperando ver por fim o Mar Cantábrico…
Anúncios