Norte

Sempre foi o meu Norte, o Cabeço da Neve, sempre reinou, absoluto, nesse meu Caramulo. Apesar de, ali ao lado, o Caramulinho espreitar altivo dos seus mais de 1000m, da. Apesar de ser o Caramulinho, com a sua inconfundível forma de cesto poceiro, que os olhos desesperados procuram quando, em terras beijadas pelo Mar de Aveiro, buscam o conforto de casa. Mas uma vez lá, nas Paredes do Guardão é ele, é o Cabeço da Neve que me serve de referência, que me serve de guarda, que me acolhe generosamente no seu regaço. É ele que me dá esse Norte que, não sendo o geográfico é o que realmente me guia…

Anúncios

4 responses

  1. Sérgio

    Todos nós deviamos ter um sitio desses.
    Abraço
    Sérgio

    Maio 25, 2011 às 7:37 am

    • E temos, Sérgio.
      É só estar atento para que não nos escape…
      Abraço

      Maio 28, 2011 às 11:04 am

  2. esse mar no céu, que coisa!

    Junho 2, 2011 às 3:45 am

    • Céu do Caramulo,
      Mar do Caramulo,
      Andrea…

      Junho 2, 2011 às 7:58 pm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s