Natal à beira-rio

É o braço do abeto a bater na vidraça!
É o ponteiro pequeno a caminho da meta!
Cala-te, vento velho! É o Natal que passa,
a trazer-me da água a infância ressurrecta.

Da casa onde nasci via-se perto o rio.
Tão novos os meus Pais, tão novos no passado!
E o Menino nascia a bordo de um navio
que ficava, no cais, à noite iluminado…

Ó noite de Natal, que travo a maresia!
Depois fui não sei quem que se perdeu na terra.
E quanto mais na terra a terra me envolvia
mais da terra fazia o norte de quem erra.

Vem tu, Poesia, vem, agora conduzir-me
à beira desse cais onde Jesus nascia…
Serei dos que afinal, errando em terra firme,
precisam de Jesus, de Mar, ou de Poesia!

David Mourão-Ferreira, Cancioneiro de Natal (1971)

2 responses

  1. Minino, que foto linda! Adoro imagens assim, em tons suaves. Descansa a gente…
    bjk

    Dezembro 28, 2010 às 3:59 pm

    • Mônica,
      Essa foto eu fiz em Sulzano, nas margens do Lago d’Iseo, numa das mais memoráveis viagens (de trabalho) de que me lembro.
      Depois de três noites gastronómicas como só Italiano sabe preparar, nessa última fiquei sozinho, vagueando pela fria noite de Novembro em Sulzano, buscando uma qualquer trattoria para jantar.
      Êta saudade…
      Bjs,
      Pedro

      Dezembro 28, 2010 às 4:09 pm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s