na minha mesa

Começou aqui, no blog da Mônica, a ideia.
Uma foto da minha mesa, foi o que pensei.
Mas a desarrumação, minha, do Francisco e da Luisa, torna-a num repositório de papeis, canetas e sei-lá-mais-o-quê…
Pouco apresentável. E nada fotogénica.
Entre arrumá-la e mostrá-la aos pouquinhos, optei pela segunda.
Este é o porta-papeis onde guardo religiosamente os cartões dos restaurantes que quero recordar. Onde quero voltar.
Ali está o da Adega Faustino, em Chaves. Antigo armazém de vinhos onde comi as melhores iscas de fígado de que me lembro.
Do As Ouhès, em Liége. Onde fui surpreendido pela cerveja Jupiler.
Do Santa Luzia, em Viseu. Onde volto todos os Outonos para comer míscaros. Com cabrito, frango ou Porco, tanto faz.
Do Rosa da Rua, ponto de encontro do Bairro Alto, onde se pode até não-jantar.
Do Lis, em Évora, templo da cozinha Alentejana.
Do Solar dos Presuntos.
Do Camafeu de Oxossi. Do Hotel RivaLago em Sulzano.
E do Touperinho, onde hoje comemos um robalo perfeito.
É assim, a minha mesa. Um pouco dela, pelo menos… 

Anúncios

12 thoughts on “na minha mesa

  1. Nossa, ainda bem que li o post depois do jantar! 🙂
    Eu também guardo cartões e folhetos dos lugares que ‘visitei e agradei’. Só que ficam numa caixa, dentro da gaveta, fico com receio de tirar do lugar e, na hora em que mais precisar, não conseguir encontrar justamente o que preciso!
    Curiosa pra ver o restante da mesa…
    bjk

    1. Mônica,
      toda a hora encontro cartões espalhados.
      na mochila da fotografia, no meio dos meus cadernos, sei lá.
      Hoje mesmo encontrei um do “Au Piano Muet”, na rue Mouffetard, Paris. ooooh saudade…
      Bj

  2. Já te ocorreu elaborares um roteiro com todos esses restaurantes de forma a que todos possamos usufruir dessas iguarias, pensa nisso
    Abraço
    Sérgio

  3. Tratas-te bem, sim senhor…! mas a verdade é que um dos grandes prazeres da vida é mesmo a gastronomia, pelo menos para mim!

    Grande abraço

    P.S. Já agora, sente-te completamente à vontade para me convidares para a tua mesa! LOL

    1. Tem do Camafeu de Oxossi, em Salvador…
      Daí, de Minas, não tenho. Mas lembro até hoje um frango ao molho pardo que comemos em Diamantina. No “Raimundo sem braço”, creio…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s