Tongóbriga

1.
Zeloso do meu sentido de orientação, resisti ao GPS. O mais que pude.
Até ao último Natal, quando recebi um, de presente.
Começou mal, a experiência com a coisa.
Almoço de aniversário de minha mãe, marcado para o restaurante “A Escola”.
Em Macieira de Alcoba, recôndita aldeia da Serra do Caramulo.
Confiança ao máximo, coordenadas no GPS e aí vamos nós…
Estranhei que o caminho sugerido divergisse das indicações dadas pelo meu pai, mas enfim, evolução é assim, e a máquina deveria conhecer algum atalho…
Afinal não. Tive que recorrer a indicações telefónicas para reencontrar o restaurante, onde já todos os convidados me aguardavam…
Diferentes referenciais, explicaram-me…
Depois España. Aí, a utilidade do GPS foi evidente.
Conduziu-me, despreocupado, pela imponente Ávila. Pela mágica Toledo.
Até à surpreendente Valência.

2.
Ontem, depois de subir a marginal do Douro, depois de me ter rendido à curva do Rio, em Melres, depois de umas deliciosas sardinhas fritas com arroz de feijão, no belo Ponte de Pedra, vi-me “perdido” perto do Marco de Canavezes.
Sem saber bem o que fazer, liguei o GPS e pedi-lhe pontos de interesse nas redondezas.Respondeu-me com a “cidade romana de Tongóbriga“. Rimo-nos, fizémos piadinhas sobre se seria necessário um ferry para chegar ao destino.
E recordámos um episódio pré-GPS de há uns bons 15 anos, perto de Viana do Castelo.
Gostamos de ruínas e de vestígios históricos. Não resistimos pois a seguir as indicações de um Castro, surgidas na estrada.
Indicações que nos conduziram a um monte, cheio de pinheiros e com casas à volta. Vasculhado o monte, sem encontrar o mais pequeno vestígio do dito povoado, perguntámos a uma mulher que passava.
A resposta foi um eloquente “sim, já ouvi dizer que há aí um Castro, mas já moro aqui há 40 anos e nunca o encontrei…”
Desta vez não foi assim. Sob os nossos pés foram surgindo ruínas. Nascendo por debaixo das casas. Que certamente foram aproveitando pedras cheias de história, na sua construção.
O tempo foi pouco para os 50ha de extensão.
Havemos de voltar.
Assim queira o GPS…

Anúncios

10 responses

  1. Isabel

    Para a próxima que estejas por essas bandas, vai a Baião, terra dos meus avós paternos e logo no centro da vila encontrarás a Pensão Borges, um recanto gastronómico, pertença dos meus primos e compadres, onde sem esforço vais regalar o palato!

    Junho 12, 2010 às 7:02 pm

    • Fica a sugestão, Isabel. Obrigado por ela…

      Junho 12, 2010 às 7:20 pm

  2. sininho

    É o que dá meteres-te com aparelhómetros complicados…
    Nada mais eficaz do que baixar o vidro e perguntar…
    Resulta sempre.
    Quer dizer, quase sempre…

    Gostei da foto e do jogo do espelho!!

    Até parece que combinámos as mudanças para hoje!!! Quando aqui cheguei achei que havia algo diferente e só depois percebi que o relvado tinha dado lugar à bonita foto. É de homem sim senhor!!

    Óptima escolha e que se encaixa na perfeição a mudança de conteúdo do blog!!
    Um abraço

    Junho 13, 2010 às 6:08 pm

  3. Cerveja é outra das minhas paixões…
    E tem muito a ver com futebol. É a companhia perfeita para um qualquer jogo, na TV ou no Estádio.
    Eu adoro aqueles espelhos para fazer fotos. Auto-retratos ou fotos de família. Vejo um e não resisto…

    Junho 13, 2010 às 8:24 pm

  4. Monica

    Aaaah, meu GPS na Irlanda era fofo, falava com sotaque de Portugal e tudo o mais (foi carinhosamente batizada de ‘Teresa, nossa GPS portuguesa’), mas acho que deixamos a coitadinha num estresse louco. Às vezes preferíamos ignorar suas instruções e aí ela não parava de repetir ‘recalculando… recalculando…’. Mas nos foi muito útil, principalmente porque estávamos dirigindo do outro lado da estrada e do carro e já tínhamos muito com que nos preocupar. Só acho que deixamos ela à beira de um colapso nervoso! 😀
    bjk

    Junho 13, 2010 às 11:17 pm

    • Pois meu GPS fala com sotaque Brasileiro…
      Não baptizei ainda, mas vou pensar seriamente nisso.
      Quanto ao inevitável “recalculando”, esse eu acho tão irritante como as vuvuzelas…
      Bjs

      Junho 15, 2010 às 12:02 pm

  5. Celso

    Oi Pedro. Belas fotos. Posso até perceber você, Ana, Luiza e o companheiro Francisco ao teu lado. É possivel que também tenha alguns Bakugans, certo? Dá até saudades de Portugal. Ainda vamos voltar de férias para passearmos, juntos, por estas belezas que só vocês e os GPSs sabem onde ficam.

    Um grande abraço e beijos na Ana e nas crianças,

    Celso

    Junho 14, 2010 às 7:40 pm

    • Obrigado, Celso.
      Esperamos por vocês, novamente, para um passeio aqui pela terrinha.
      Ficou muito para ver ainda.
      Abraço para vc, beijos para Letícia e Paulinha…

      Junho 15, 2010 às 12:06 pm

  6. Sérgio

    Caro amigo, só de imaginar aquelas sarinhas fritas com arroz de feijão já me faz perder a vontade de adquirir essa engenhoca que nos diz por onde ir.
    Abraço do Sérgio

    Junho 15, 2010 às 7:33 am

    • Vale a pena, Sérgio. É bom tê-lo por perto.
      E, se servir para encontrar sardinhas com arroz de feijão, vale bem o investimento…
      Abraço

      Junho 15, 2010 às 12:09 pm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s